Google

sábado, 7 de julho de 2007


Mito Diânico da Criação Uma releitura por Morgan MacFarland

"No momento infinito, antes de tudo,
a Deusa levantou-se do Caos e deu nascimento a ela mesma.
Isto foi antes de qualquer coisa ter nascido, até Ela própria.
E quando separou os céus das águas.
Ela dançou sobre elas. Conforme ela dançava, assim aumentava
seu êxtase e em Seu êxtase Ela criou tudo o que existe.
Seus movimentos provocaram os ventos e assim o elemento Ar
nasceu e respirou, e a Deusa nomeou a Si mesma de:
Arianrhod, Cardea e Astarte.
E faisca saíram de seus pés conforme Ela dançava e brilhavam
como so Sol, e as estrelas se prenderam em Seus cabelos.
Os cometas passavam sobre ela e assim o elemento
Fogo nasceu e a Deusa nomeou a Si mesma de: Sunna, Vesta e Pele.
Sob os seus pés moviam-se as águas formando ondas e assim
os rios e lagos passaram a fluir e Ela nomeou a Si mesma de:
Binah, Mari Morgaine e Lakshmi.
E procurando descansar seus pés na dança, produziu a Terra
de modo que as margens dos rios e mares fossem os seus pés;
as terras férteis, o Seu ventre; as montanhas,
os Seus seios fartos e Seus cabelos, todas as coisas que crescem,
e a Deusa nomeou a Si mesma de:
Ceridwen, Demeter, a mãe do milho.
E Ela se tornou aquela que é, foi e será, nascida de Sua própria
dança sagrada, do prazer cómico e da alegria infinita.
Ela sorriu e criou a mulher à Sua própria imagem, para sera Sua Sacerdotisa.
De seus elementos - Terra, Ar,
Fogo e Água-a Deusa criou o seu consorte para lhe dar amor,
prazer, companherismo e para compartilhar.

Nenhum comentário: